“A CIA e Mossad estão por trás do Estado Islâmico”

CIO Presidente sudanês Omar Hassan al-Bashir, acusou os serviços de inteligência dos EUA e de Israel de estarem por trás de organizações terroristas e criticou a forma como se está enfrentando o problema em torno o Estado Islâmico.
“O grupo Estado Islâmico surgiu de repente, com os meios que só podem permitir os Estados. E nos perguntamos: De onde vêm esses recursos? Quem está por trás dessas organizações?”, disse o presidente do Sudão, em entrevista exclusiva a Euronews.
O presidente insistiu que as ações do grupo terrorista “são brutais e é uma afronta ao Islã, distorcendo a imagem do Islã”.

“As execuções dos jornalistas e dos presos, como queimar vivo um piloto jordaniano, não tem nada a ver com os valores do Islã”, disse Al Bashir.
“Nenhum muçulmano estaria disposto a cometer tais atos, ataques, assassinatos, uma vez que o Islã proíbe isso”, disse ele.
“Eu digo que a CIA e Mossad estão por trás dessas organizações, porque não há outra organização ou país que tem interesse em tais grupos”, disse o presidente.
Na opinião Presidente sudanês, “a interferência dos EUA na região e apoio a Israel explicam por que muitos jovens se juntam a estas organizações, grupos que sem duvida, que contam com o apoio de organizações internacionais que querem prejudicar a imagem do Islã “.
“O apoio incondicional dos EUA a Israel e às políticas israelenses contra os palestinos são os principais motivos que incentivam os jovens a se juntar a estas organizações”, disse o presidente, explicando que a agressão israelense contra os lugares santos, a judaização de Jerusalém, a expulsão dos palestinos de suas casas e, eventualmente, a agressão em Gaza, “enfurecem a juventude muçulmana”.
Ele também criticou a maneira em que este problema está sendo gerido pela comunidade internacional e explicou sua proposta. “Nossa política para combater este tipo de extremismo é erradicar a base de sua filosofia, precisamente com suas próprias armas: as ideia. E temos demonstrado que funciona”, disse Al Bashir.
“Uma vez identificados esses jovens, eles são presos e levados para os estudiosos em ciências islâmicas para o diálogo com eles. E através destas terapias como eles, leva-os abandonar suas ideias radicais”, disse o presidente.
Fonte: RT.
Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta