Cientistas afirmam que fim do mundo está 44% mais perto de acontecer

Novos estudos científicos revelaram
que a civilização humana tem atravessado quatro de nove fronteiras planetárias,
que aumenta o risco do fim do mundo em
44%.
Os quatro limites que a humanidade se
atreveu a cruzar são
as alterações climáticas, a perda da integridade da biosfera, a mudança do
sistema de terra e os ciclos biogeoquímicos alterados.
A pesquisa foi realizada por uma
equipe que inclui Steve Carpenter, diretor da Universidade de
Wisconsin-Madison, nos EUA.

Cientistas afirmam que apocalipse
está 44% mais perto de acontecer depois de ultrapassarmos 4 das 9 fronteiras
planetárias.
Descrevendo a descoberta
surpreendente, ele disse: “Nós estamos correndo até e além dos limites
biofísicos que permitem que a civilização humana conheça 
seu sentido de
existir”.
Carpenter explicou ainda que, até
cerca de 100 anos atrás, a Terra estava em “estado estável”, conhecida como a
época Holoceno, um período durante o qual ‘tudo que é importante para a
civilização’ aconteceu.
No entanto, o rompimento dos limites
do planeta ao longo do século passado tem aparentemente causado este período de
estabilidade para chegar a um fim.
Explicando as mudanças, Carpenter
disse: “Nós mudamos de nitrogênio e fósforo a ciclos muito maiores do que
qualquer outro elemento. O aumento é na ordem de 200 a 300 por cento. Em
contraste, o carbono só foi aumentado de 10 a 20 por cento, e veja todas as
mudanças causadas no clima…”
Ele também falou de um desequilíbrio
elementar na Terra, e explicou que, enquanto os Estados Unidos tinham
áreas de terra ricas em nitrogênio e fósforo, na África faltava severamente
tais elementos, que são vitais para a produção de alimentos.
Ele ainda disse que pode ser possível
que a civilização possa viver apesar dessas alterações, mas é algo que nunca
foi tentado ainda.

Fonte: Metro
Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta