O Poder Maçônico por trás da renúncia do Papa Bento 16

Papa
renuncia {alegadamente “a luta até a morte entre a Maçonaria e a fé
católica”}
A
renúncia do papa Bento XVI em 28 de Fevereiro é o resultado da “dentro da
Igreja,há forças que lutam até a morte entre a fé católica e a Maçonaria”,
disse à RT o jornalista e pesquisador Daniel Estulin.
O
jornalista esclarece que o Vaticano é 
“um dos principais inimigos de algumas das sociedades secretas mais
poderosas do mundo”,  onde está
“a luta entre o Vaticano e o papa, e a Maçonaria”, que diz “a
Maçonaria é muito infiltrada no Vaticano. ” “Todo mundo está lutando
pelos mesmos interesses, ganhar o controle do mundo”, salienta.

Nas
últimas décadas -explica Estulin- os postos mais importantes vem recaindo nas
mãos da Maçonaria e o Papa Bento XVI era um “rival muito
encômodo”,por isso,ele explica,havia forças no Vatiicano que queriam se
separar.

Estulin
deixa claro que ele pensou que o papa renuncie 21 dezembro de 2012, uma data
que não tem nada a ver com o calendário maia, mas com “o fim de uma era
grande.” Desistir durante esta data seria “arriscado dadas as
circunstâncias e o simbolismo”, explica.

Questionado
se uma pessoa mais jovem na frente do Vaticano poderia mudar a imagem da
instituição, Estulin é cético, pois, afirma que deve mudar é “a
compreensão de como o mundo funciona, e isso é um que dificilmente vai entender
que o eixo está nas mãos da Maçonaria. ” Segundo o jornalista, “ou
você destroi e elimina a Maçonaria da igreja, ou o que você vai ter a partir de
agora e para o futuro será ainda pior.”
Assista o vídeo abaixo:
Fonte: http://forum.antinovaordemmundial.com/Topico-o-poder-ma%C3%A7%C3%B4nico-por-tr%C3%A1s-da-ren%C3%BAncia-do-papa
Please follow and like us:

Você pode gostar também

2 thoughts on “O Poder Maçônico por trás da renúncia do Papa Bento 16”

  1. OPODER DA VONTAFDE É ILIMITADO…

    Querer é poder! O poder da vontade é ilimitado. O homem, consciente de si mesmo, de seus recursos latentes, sente crescerem suas forças na razão dos esforços. Sabe que tudo o que de bem e bom desejar há de, mais cedo ou mais tarde, realizar-se inevitavelmente, ou na atualidade ou na série das suas existências, quando seu pensamento se puser de acordo com a Lei divina. E é nisso que se verifica a palavra celeste: “A fé transporta montanhas.”
    Não é consolador e belo poder dizer: “Sou uma inteligência e uma vontade livres; a mim mesmo me fiz, inconscientemente, através das idades; edifiquei lentamente minha individualidade e liberdade e agora conheço a grandeza e a força que há em mim. Amparar-me-ei nelas; não deixarei que uma simples dúvida as empane por um instante sequer e, fazendo uso delas com o auxílio de Deus e de meus irmãos do espaço, elevar-me-ei acima de todas as dificuldades; vencerei o mal em mim; desapegar-me- ei de tudo o que me acorrenta às coisas grosseiras para levantar o vôo para os mundos felizes!”

    Vejo claramente o caminho que se desenrola e que tenho de percorrer. Esse caminho atravessa a extensão ilimitada e não tem fim; mas, para guiar-me na estrada infinita, tenho um guia seguro – a compreensão da lei de vida, progresso e amor que rege todas as coisas; aprendi a conhecer-me, a crer em mim e em Deus. Possuo, pois, a chave de toda elevação e, na vida imensa que tenho diante de mim, conservar-me-ei firme, inabalável na vontade de enobrecer-me e elevar-me, cada vez mais; atrairei, com o auxílio de minha inteligência, que é filha de Deus, todas as riquezas morais e participarei de todas as maravilhas do Cosmo.
    Minha vontade chama-me: “Para frente, sempre para frente, cada vez mais conhecimento, mais vida, vida divina!” E com ela conquistarei a plenitude da existência, construirei para mim uma personalidade melhor, mais radiosa e amante. Saí para sempre do estado inferior do ser ignorante, inconsciente de seu valor e poder; afirmo-me na independência e dignidade de minha consciência e estendo a mão a todos os meus irmãos, dizendo- lhes:
    Despertai de vosso pesado sono; rasgai o véu material que vos envolve, aprendei a conhecer-vos, a conhecer as potências de vossa alma e a utilizá-las. Todas as vozes da Natureza, todas as vozes do espaço vos bradam: “Levantai-vos e marchai! Apressai- vos para a conquista de vossos destinos!”

    A todos vós que vergais ao peso da vida, que, julgando-vos sós e fracos, vos entregais à tristeza, ao desespero, ou que aspirais ao nada, venho dizer: “O nada não existe; a morte é um novo nascimento, um encaminhar para novas tarefas, novos trabalhos, novas colheitas; a vida é uma comunhão universal e eterna que liga Deus a todos os seus filhos.”
    A vós todos, que vos credes gastos pelos sofrimentos e decepções, pobres seres aflitos, corações que o vento áspero das provações secou; Espíritos esmagados, dilacerados pela roda de ferro da adversidade, venho dizer-vos:
    “Não há alma que não possa renascer, fazendo brotar novas florescências. Basta-vos querer para sentirdes o despertar em vós de forças desconhecidas. Crede em vós, em vosso rejuvenescimento em novas vidas; crede em vossos destinos imortais. Crede em Deus, Sol dos sóis, foco imenso, do qual brilha em vós uma centelha, que se pode converter em chama ardente e generosa!
    “Sabei que todo homem pode ser bom e feliz; para vir a sê-lo basta que o queira com energia e constância. A concepção mental do ser, elaborada na obscuridade das existências dolorosas, preparada pela vagarosa evolução das idades, expandir-se-á à luz das vidas superiores e todos conquistarão a magnífica individualidade que lhes está reservada.
    “Dirigi incessantemente vosso pensamento para esta verdade: podeis vir a ser o que quiserdes. E sabei querer ser cada vez maiores e melhores. Tal é a noção do progresso eterno e o meio de realizá-lo; tal é o segredo da força mental, da qual emanam todas as magnéticas e físicas. Quando tiverdes conquistado esse domínio sobre vós mesmos, não mais tereis que temer os retardamentos nem as quedas, nem as doenças, nem a morte; tereis feito de vosso “eu” inferior e frágil uma alta e poderosa individualidade!”
    Autor: Léon Denisrum Espírtita Maio 2015

    REALMENTE O PODER DA VONTADE É ILIMITADO

    (1TG.2.8) Se vós, contudo, observais a lei regia segundo a Escritura: (RM.RM.4.12) Como está escrito: (AP.22.20) Aquele que dá testemunho destas cousas, diz: (JB.19.35) Aquele que isto viu, testificou, sendo verdade o seu testemunho, e Ele sabe que diz a verdade, para que também vós creiais; (IS.28.26) pois o seu Deus assim o instrui devidamente e o ensina: (MT.11.29) Tomai sobre vós o meu jugo,e aprendei de mim; porque sou humilde e manso de coração; e achareis descanso para a vossa Alma: (EZ.24.22) Fareis como eu fiz, (JB.6.38) porque Eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim, a vontade Daquele que me enviou: (JB.8.29) E Aquele que me enviou está comigo, não me deixou só; porque Eu faço sempre o que lhe agrada:
    (LC.12.34) Sabei, porém, isto:(JB.3.27) O homem não pode receber cousa alguma, se do céu não lhe for dada: (1SML.2.6) O Senhor é o que tira a vida e a dá; que faz descer a sepultura e faz subir: (EC.11.14/15) Os bens e os males, a vida e a morte, a pobreza e as riquezas, tudo isto vem de Deus: Em Deus é também que se acha a sabedoria, e o regulamento da vida, e a ciência das boas obras nele mesmo tem sua origem: (LC.21.19) É na vossa perseverança que ganhareis a vossa alma: (LC.29.17) Que quer dizer, pois, o que está escrito?
    (LE.8.11) Visto como não se executa logo a sentença sobre a má obra, o coração dos filhos dos homens está inteiramente disposto a praticar o mal: (RM.10.14) Porventura não terá chegado isso ao conhecimento de Israel? (SL.33.15) É Ele que forma o coração de todos eles, que contempla todas as suas obras, (RM.2.8) que retribuirá a cada um segundo o seu procedimentoSL.73.7) Com efeito, Deus é bom para com Israel, para com os de coração limpo; (IS.30.12) pelo que assim diz o Santo de Israel:

    “(IL) Isso quer dizer que não existem Direitos Humanos, sem Deveres Humanos, na obra da nossa criação divina: Esses deveres inseridos nos mandamentos eternos e irrefutáveis, serão revelados e estabelecidos no curso da nossa jornada, rumo ao reino de Deus: Na verdade, nem uma folha pode cair ao chão, sem que se satisfaça a vontade do Criador de todas as cousas, porque a sua vontade é soberana e toda-poderosa:
    Por enquanto, apenas acabamos de queimar em praça pública, e banir da face da terra, a famigerada “Declaração Universal dos Direitos Humanos” que os gentios fizeram à revelia da lei, da vontade, e da Autoridade de Deus:
    Avaliai as minhas razões:
    Como todos os filhos dos homens, eu também nasci por vontade que não era a minha, vive para satisfazer as vontades daqueles que me precederam na obra comum da nossa criação, e também morreria a despeito da minha própria vontade; porque até então ninguém acreditava que a vontade que já prevalece na obra comum da nossa criação, não é a da criatura inacabada, como é obvio, e sim, a vontade do Criador de todas as cousas do céu e da terra”.

    (JB.14.11) Não se turbe o vosso coração, credes em Deus, crede também em mim; (RM.13.11) porque a nossa salvação está agora mais perto quando no princípio cremos:(EC.15.1) O que teme a Deus fará boas obras, e o que está bem firmado na justiça, lançará mão da sabedoria; (LS.8.4) porque é ela que ensina a ciência de Deus, e a que dirige as suas obras:

    (EF.5.14) Desperta, ó tu que dormes, e Cristo te iluminará; (LE.8.6) porquanto grande é o mal que pesa sobre o Homem; (1RS.13.9) porque assim me ordenou o Senhor, dizendo: (DT.15.5) Ouvirás atentamente a voz do Senhor teu Deus, para cumprir todos os estatutos e mandamentos, que hoje te ordeno:
    (GN.4.7) Eis que o pecado jaz à porta; cumpre a ti domina-lo:

    (GN.18.14) Acaso, há para o Senhor cousa demasiadamente difícil? (JÓ.4.17) Seria, acaso, o

    :

  2. DE CISÃO E VONTADE

    Incerteza parece coisa de pouca monta, mas é assunto de importância fundamental no caminho de cada um.
    *
    As criaturas entram na instabilidade moral, habituam-se a ela, e passam ao domínio das forças negativas sem perceber.

    Dizem-se confiantes pela manhã e acabam indecisas à noite.

    Frequentemente rogam em prece:
    – Senhor! Eis-me diante de tua vontade!…

    Mostra-me o que devo fazer!…

    E quando o Senhor lhes revela, através das circunstâncias, o quadro de serviço a expressar-se, conforme as necessidades a que se ajustam, exclamam em desconsolo:

    – Quem sou eu para realizar semelhante tarefa?

    Não tenho forças.
    Ai de mim que sou inútil!…

    Sabem que é preciso servir para se renovarem, mas paradoxalmente esperam renovar-se sem servir.

    Dispõem de verbo fácil e muitas vezes se proclamam inabilitadas para falar auxiliando a alguém nas construções do Espírito.

    Possuem dedos ágeis, quais filtros inteligentes engastados nas mãos; entretanto, costumam asseverar-se inseguras na execução das boas obras.

    Ouvem preleções edificantes ou mergulham-se na assimilação de livros nobres, prometendo heroísmo para o dia seguinte, mas, passada a emoção, volvem à estaca zero, à maneira de viajante que desiste de avançar nos primeiros passos de qualquer jornada
    Louvam na rua o equilíbrio e a serenidade e, às vezes, dentro de casa, disputam campeonatos de irritação.

    O dever jaz à frente, a oportunidade de elevação surge brilhando, os recursos enfileiram-se para o êxito e realizações chamam urgentes, mas preferem a fuga da obrigação sob o pretexto de que é preciso cautela para evitar o mal, quando o bem francamente lhes bate à porta.

    *
    Trabalho, ação, aprendizado, melhoria!…

    Não te ponhas à espera deles sob a imaginária incapacidade de procurá-los, à vista de imperfeições e defeitos que te marcaram ontem.
    Realização pede apoio da fé.

    Mãos à obra.

    Tudo o que serve para corrigir, elevar, educar e construir, nasce primeiramente no esforço da vontade unida à decisão.

    (Francisco Cândido Xavier por Emmanuel. In: Rumo Certo)

    Divulgação ADDE- 24/01/2016

Deixe uma resposta