Obama emite comunicado sobre ameaça à Segurança Nacional em 21-11-2012

MEMORANDUM FOR THE HEADS OF EXECUTIVE DEPARTMENTS AND AGENCIES
SUBJECT: National Insider Threat Policy and Minimum Standards for Executive Branch Insider Threat Programs
This Presidential Memorandum transmits the National Insider Threat Policy and Minimum Standards for Executive Branch Insider Threat Programs (Minimum Standards) to provide direction and guidance to promote the development of effective insider threat programs within departments and agencies to deter, detect, and mitigate actions by employees who may represent a threat to national security. These threats encompass potential espionage, violent acts against the Government or the Nation, and unauthorized disclosure of classified information, including the vast amounts of classified data available on interconnected United States Government computer networks and systems.
The Minimum Standards provide departments and agencies with the minimum elements necessary to establish effective insider threat programs. These elements include the capability to gather, integrate, and centrally analyze and respond to key threat-related information; monitor employee use of classified networks; provide the workforce with insider threat awareness training; and protect the civil liberties and privacy of all personnel.
The resulting insider threat capabilities will strengthen the protection of classified information across the executive branch and reinforce our defenses against both adversaries and insiders who misuse their access and endanger our national security.
BARACK OBAMA
Tradução: Google tradutor
MEMORANDUM PARA OS CHEFES DE DEPARTAMENTOS EXECUTIVOS E AGÊNCIAS
ASSUNTO: Política de ameaça nacional de informantes e Requisitos Mínimos para o programa de ameaça interna ao Poder Executivo.
Este Memorando Presidencial transmite a Política Nacional de Ameaças de informantes e Padrões Mínimos para o programa de ameaça interna ao Poder Executivo(Padrões Mínimos) para fornecer direção e orientação para promover o desenvolvimento de programas eficazes de ameaças internas dentro dos departamentos e agências para dissuadir, detectar e mitigar ações de funcionários que possam representar uma ameaça à segurança nacional. Estas ameaças abrangem espionagem potencial, atos violentos contra o Governo ou à Nação, e divulgação não autorizada de informação classificada, incluindo vastas quantidades de dados sigilosos disponíveis nas redes de computadores e sistemas interligados do governo dos Estados Unidos.
Os requisitos mínimos para fornecer aos departamentos e agências os elementos mínimos necessários para estabelecer programas de ameaças efetivas internas. Esses elementos incluem a capacidade de reunir, integrar e centralmente analisar e responder à informações sobre ameaças relacionadas com; uso do monitor empregado de redes classificadas; fornecer a força de trabalho com treinamento de informantes; e conscientização sobre a ameaça e proteger as liberdades civis e privacidade de todos os funcionários.
As capacidades de ameaças resultantes dos informantes irão reforçar a proteção das informações classificadas em todo o Poder Executivo e reforçam nossas defesas contra os dois adversários e informantes que abusam de seu acesso e pôe em perigo a nossa segurança nacional.
BARACK OBAMA
Fonte: http://www.whitehouse.gov/the-press-office/2012/11/21/presidential-memorandum-national-insider-threat-policy-and-minimum-stand
O memorandum foi publicado em 21-11-2012 e não foi devidamente divulgado pela mídia ocidental. De acordo com o artigo da PressTV, este comunicado emitido ofialmente por Obama significaria que já existe uma ruptura interna de poder no governo dos EUA. A morte do ex-embaixador Christopher Stevens em Bengasi envolvendo a CIA teria sido o motivo para elaborar o memorandum. Especificamente, o site sugere que isto está dirigido implicitamente ao lobby judaico-sionista AIPAC, que há décadas pratica espionagem com o Mossad e controla os EUA através dos políticos, corrompendo-os com gordas quantias de dólares para que favoreçam de diferentes maneiras os interesses de Israel.
Por outro lado, há quem opine diferente. O comunicado indicaria que os EUA estão a cada dia se tornando um Estado Totalitário, onde qualquer cidadão será considerado uma ameaça à segurança nacional. Um simples protesto pacífico contra o governo, banqueiros ou o apoio incondicional à Israel nas ruas será o pretexto para enviar as pessoas à prisão sob acusação de espionagem ou traição.
A questão é que se Obama realmente estiver com a intenção de limpar o país do lobby sionista(o que é improvável), só seria possível com o apoio daqueles que possuem as armas, os militares. Do contrário seria assassinado, da mesma maneira como este mesmo lobby sionista fez com John Kennedy, quando tentou intervir no FED(Federal Reserve).
O problema em obter apoio dos militares é que a indústria bélica é praticamente controlada pelo mesmo lobby que controla o governo, portanto as chances de que algum presidente venha a peitar os genocidas de Israel é muito pequena.
Para o mundo, um golpe de estado nacionalista nos EUA seria muito bem vindo, pois removeria a escória sionista infiltrada em todas as esferas do governo e na sociedade e assim impediria uma 3ª Guerra Mundial.
Vale ressaltar que não existe nenhuma ameaça aos EUA, não há nenhuma base russa, chinesa ou iraniana cercando o país. O que Israel e os EUA fazem é criar uma “ameaça de ficção” na mídia para justificar o envio de tropas e mísseis às regiões onde as corporações e banqueiros sionistas possuem interesses financeiros, principalmente petróleo e gás.
Fonte: http://caminhoalternativo.wordpress.com/2012/11/25/obama-emite-comunicado-sobre-ameaca-a-seguranca-nacional-em-21-11-2012/
Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta