O solo da Unidade 4 de Fukushima está afundando e um colapso total é iminente

Embora
os meios de comunicação há muito tempo tenham abandonado a questão, a situação
precária na instalação nuclear de Fukushima Daichi no Japão continua a
agravar-se, de acordo com um funcionário do governo japonês. Durante uma
entrevista recente, Mitsuhei Murata, o antigo embaixador japonês para a Suíça e
Senegal, explicou que o solo da Unidade 4 da Usina está gradualmente afundando,
e que toda a estrutura muito provávelmente esteja à beira de um colapso total.

Isso
é altamente preocupante, pois a Unidade 4 detém atualmente mais de 1.500 barras
de combustível nuclear gasto, e um coletivo de 37 milhões cúrias de radiação
mortal que, se liberado, poderia fazer grande parte do mundo completamente
inabitável. Como alguns leitores do Natural News devem se lembrar, a Unidade 4
contém a infame piscina elevada de resfriamento que foi severamente danificada
após o terremoto catastrófico e tsunami que atingiu em 11 de março de 2011.
O
segundo secretário do ex-primeiro-ministro japonês Naoto Kan, relatou que o
chão debaixo da Unidade 4 já está afundando cerca de 31,5 centímetros desde o
desastre, e este afundamento ocorreu de forma desigual. Se o solo continuar a
afundar-se, o que se espera é que se um outro sismo de mesma magnitude ou mais
baixa como seis graus ocorra na região, a estrutura inteira pode entrar em
colapso, o que drenaria totalmente o tanque de arrefecimento e causaria um
colapso catastrófico.
“Se
a Unidade 4 colapsar o pior cenário será um colapso, e um incêndio resultante
na atmosfera. Essa será a maior crise sem precedentes que o homem já
experimentou. Ninguém será capaz de se aproximar das plantas … como todas terão
derretido e causarão um grande incêndio “, disse Murata durante a entrevista.
“Muitos cientistas dizem que se a unidade 4 colapsar, não só o Japão se
encontrará em ruínas, mas o mundo inteiro também vai enfrentar sérios danos.”
Porque
existem 31 unidades nucleares de tipo semelhante à Unidade 4 nos EUA, o governo
americano subestimou o desastre para proteger a sua própria reputação, alega
Murata. Esta é, de fato, a razão principal por que tão pouco tem sido relatado
sobre a gravidade de Fukushima após o desastre. O império americano, em outras
palavras, não quer que o povo americano, nem o mundo, saibam que existe a
possibilidade de literalmente, ocorram dezenas de situações idênticas a
Fukushima em solo americano.
Entrevista
de 3:51 minutos com o embaixador Murata:

Fonte:
The Watchers fontes relacionadas: enenews e Natural News por: Ethan A. Huff
Comentário
do blog:
A
mídia corporativa conspira contra a humanidade, porque pertence ao mesmo grupo
que controla a economia, corporações, exércitos e governos. Não esperem que a
Rede Globo ou outra emissora venha à público informá-los sobre isto. A idéia é
deixar o barco afundar. A elite já possui seus bunkers subterrâneos para se
abrigar(não sei como sobreviverão à radiação no subsolo).
Infelizmente,
as massas não fazem a mínima ideia de como o lobby nuclear atua em diversos
países subornando políticos para aceitarem a instalação de usinas nucleares,
mesmo sabendo que representam uma ameça à vida no planeta.
Esta
é a dura realidade que vivemos, uma elite financeira que não mede
consequências, querem lucrar através da exploração humana e destruição do
planeta!
O
leitor pode acompanhar os últimos terremotos neste link.
lembre-se,
o que foi mostrado no artigo já demonstra que a contagem regressiva para uma
contaminação a nível mundial já começou, porque o local continua afundando e
não há nada que impeça isto.
Mais
um terremoto naquela região de uns 6 graus e a vida neste planeta vai pro saco!
Agradeçam aos banqueiros e corporações…
Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta