O Blog Revelação Final entrevista o Blogueiro e Twiteiro EGuevara – Parte 1 de 3

O Blog 
Revelação Final entrevista  nesta 2° edição um dos Blogueiros mais influentes na
blogosfera de análise conspiratória, conhecido por utilizar  o pseudônimo do maior   revolucionário argentino-cubano “Ernesto
Guevara”.

*Eguevara
tem se destacado na rede social por ser um Twiteiro ativo de alto impacto
(@eguevara2012), e pelo seu profundo conhecimento sobre geopolítica, conspiração,
política entre outros assuntos relevante. É editor responsável pelo Blog Caminho Alternativo, tem se destacado como um dos maiores blogueiros neste
nicho.


Apresenta para o Blog Revelação Final informações
que  elucida  através de suas análises fatos contundentes na
atual conjectura  política, social e  ecônomica.  

Confira abaixo a primeira parte da  entrevista de
Eguevara.
Revelação
Final:
Guevara você segue algum credo religioso?
EGuevara:
Tenho meu lado espiritual mas não sigo nenhuma religião, por entender que ao
longo da história humana as religiões foram usadas como ferramenta de controle
social com o objetivo de manter as massas na completa ignorância enquanto uma
minoria rica pilhava e mantinha o conhecimento restrito a apenas seus
integrantes. Isto se perpetuou até os dias atuais.
Se
as religiões foram criadas para dar continuidade a algum tipo de conhecimento,
em algum momento na história elas foram dominadas por sociedades secretas, onde
uma parte do conhecimento foi manipulado e permitida sua divulgação e o
principal e mais importante foi guardado à sete chaves para ser lido por uma
minoria privilegiada. Por que será que o Vaticano armazena milhares de livros
antigos e não os revela ao público? O que esses livros contêm de tão importante
que o seu conteúdo não pode ser revelado à humanidade?
Revelação
Final:
Como foi seu primeiro contato sobre o governo da NWO e da elite
sionista, como chegou ao seu  conhecimento sobre 
essa conspiração global?
EGuevara:
Pela internet, pesquisando em diversas fontes e logo em seguida associando com
o que já havia lido em livros, principalmente 
sobre a 2ª Guerra Mundial.
Revelação
Final:
Conspiração é teoria?
EGuevara:  “Teoria da Conspiração” deixou de ser teoria
para se tornar um tema concreto, porém o termo ainda é usado de forma debochada
na internet para tentar desacreditar as evidências de uma conspiração.
Este
é um exemplo claro de que Conspiração não é teoria: – o chefe da  empresa fictícia Bolinha se reúne com sua
equipe para decidir(conspirar) a demissão de certo funcionário devido a redução
de custos. O funcionário está prestes a ser demitido e não faz ideia do que
estes homens estão decidindo(conspirando) na sala de reuniões.
O
que está acontecendo nesta sala é justamente uma conspiração. Um grupo de
pessoas se reúne para decidir o futuro de uma outra pessoa. Isto é visto como
algo completamente normal pela sociedade.
Tomando
este simples exemplo, podemos vislumbrar que somos vítimas de conspiração
diariamente em diversas situações do cotidiano. Por que quando falamos em Nova
Ordem Mundial as pessoas não acreditam? Afinal, estamos falando de um grupo de
pessoas que tomam decisões a nível macro, decidem o rumo que a humanidade irá
tomar e que tudo saia da forma que atenda seus interesses, assim como o exemplo
do chefe da empresa Bolinha. Minha conclusão para esta pergunta é simplesmente:
– Ignorância. E quanto mais pessoas ignorantes, melhor para a elite financeira
que está no poder.
Se
as pessoas soubessem o que está por trás da atividade bancária que rege a vida
de 7 bilhões de pessoas neste planeta, não restaria nenhum banco e nenhum
banqueiro.
Revelação
Final:
Quem são os sionistas? Quais são suas intenções? Onde eles estão?
EGuevara:  A palavra “sionista” se refere à
Sião (http://pt.wikipedia.org/wiki/Si%C3%A3o), é um movimento político e de
poder, que apesar de ser de origem judaica, é composto por membros que não são
judeus, como árabes e cristãos. Os sionistas tentam por todos os meios associar
este movimento à religião judaica, raça ou etnia, permitindo assim, rotular
àqueles que se opõe ao movimento sionista como “antissemitas”, o que é
totalmente irracional, pois os palestinos são semitas e são massacrados
diariamente justamente por israelenses, que são judeus. Sem falar nos
iraquianos e demais povos daquela região, que também são semitas.
Os
cabeças do sionismo são arianos, que apesar de se denominarem judeus por uma
antiga conversão ao judaísmo, são originários da antiga Khazaria, ao norte da
Babilônia, sul da Rússia, neste vídeo é explicado:
É
por este motivo que se associa os sionistas com a Cabala, à Babilônia e ao
antigo Egito. Isto demonstra que o rótulo “antissemita” não é válido em nenhuma
circunstância, nem em relação ao sionismo e nem em relação ao sionista em si,
já que eles não são semitas. Veja o rosto de Benjamin Netanyahu e verá um homem
caucasiano que não se parece em nada a um palestino ou iraquiano, que sim são
semitas.
Nota-se
portanto que os judeus e o judaísmo foram sequestrados por membros de antigas
sociedades secretas para servir de escudo. Desta forma os sionistas cometem
seus crimes contra a humanidade e se escondem por trás do judaísmo, fazendo com
que sejam vistos como “vítimas perseguidas” e permanecendo impunes. Esta
técnica é usada há décadas e a humanidade ainda não percebeu.
O
rótulo “antissemita” é usado pelos sionistas para defesa e ataque, dependendo
da situação. Quando precisam se defender após um crime, eles rotulam o acusador
de “antissemita”, quando precisam atacar uma pessoa ou uma população que se
recusa a se ajoelhar aos seus interesses, acusam a vítima de “antissemita”, ou
então “terroristas”. Esta é a função de organismos como o AIPAC e ADL nos EUA.
A
origem do sionismo, da busca pela “terra prometida”, talvez esteja na antiga
Babilônia, muito provávelmente às origens da humanidade conforme Zecharia
Sitchin publicou em seus livros ao interpretar as tábuas sumérias.
Especificamente quando ele relata a história dos irmãos Anunnaki Enlil e Enki,
de onde teria surgido as duas ramificações da descendência humana e dado origem
ao conflito que hoje vivemos entre este “povo escolhido por Deus” e o restante
da humanidade.
Pode
parecer até surreal, que no fim das contas, estejamos vivenciando a
continuidade de um conflito que se originou há milhares de anos, entre dois
irmãos que sequer são terráqueos e sim Anunnakis, conforme registro nas tábuas
sumérias interpretadas por Sitchin.
A
organização do sionismo é feita de forma piramidal onde no topo se encontram
algumas famílias(Rothschild, Rockefeller, Morgan, Lynch, Warburg, Goldman) que
possuem origens Babilônicas e do antigo Egito e que tinham conhecimentos
secretos, além de riquezas, passados de geração para geração, o que  permitiu criar uma dinastia de poder ao longo
de centenas de gerações. Governos e políticos estão abaixo desta cúpula e
obedecem às determinações da elite sionista/Illuminati.
O
pesquisador Fritz Springmeier revelou em sua obra “13 Bloodlines of The
Illuminati” os sobrenomes destas famílias que estão no controle do mundo há
milhares de anos. Obviamente que os sobrenomes atuais não correspondem aos de
seus antepassados, o importante é a relação referente à linhagem sanguínea. Os
integrantes destas famílias estão espalhados em diversos países, principalmente
Inglaterra e EUA.
http://www.bibliotecapleyades.net/bloodlines/index.htm
O
termo Illuminati(http://pt.wikipedia.org/wiki/Illuminati) se refere também ao
mesmo grupo de poder atual que compõe o sionismo. Ou seja, sociedades secretas
que se reunem periodicamente com o intuito de planejar e decidir o rumo da
humanidade, atualmente Club Bilderberg, Skull and Bones, Bohemian Grove, CFR,
etc.
O
grande problema da humanidade reside na sua ignorância em relação à sua
verdadeira origem. Precisamos descobrir urgentemente de onde viemos, como
evoluímos e quem nos manteve vivendo da forma como vivemos.
Quando
descobrirmos a verdade, entenderemos de onde surgiu a ideia de Governo Mundial
que os sionistas querem implantar e por que tratam a humanidade como escravos
ou animais.
Revelação
Final:
Os Illuminati organizaram as duas primeiras guerras mundiais em 1914 e
1945, você acredita que esta elite esteja preparando secretamente a WW3?
EGuevara:  Sim, o sionismo/Illuminati necessita a 3ª
Guerra Mundial para reduzir a população global em 500 milhões ou 1 bilhão de
pessoas e resetar o sistema de escravidão humana chamado “sistema capitalista”.
Já foi comprovado que o plano existe, pode ser consultado no “Relatório de Iron
Mountain”, que por sinal, muito do que está lá foi concretizado ou está sendo
cumprido.
Revelação
Final:
Em entrevista recente ao portal Terra o Israelense Jonathan Fine, consultor
sobre diplomacia e religião, disse que uma intervenção no Irã não é uma hoax.
Em sua opinião esta  interversão deverá ocorrer? Esta ação pode resultar numa
guerra global?
EGuevara:
Há décadas Israel usa o assassinato, o blefe e a chantagem para conseguir seus
objetivos. Atualmente os sionistas já possuem o poder global para atacar o Irã,
o que lhes falta é o apoio da comunidade internacional. Querem que a humanidade
acredite que Israel é a vítima e o Irã é o agressor. Pura propaganda que visa
demonizar uma nação que nunca invadiu país algum e que utiliza, em seu pleno
direito, energia nuclear civíl. Muito pelo contrário, Irã foi atacado na década
de 80 pelo Iraque patrocinado justamente pelo eixo sionista EUA/Israel.
Em
recentes declarações do escritor judeu Noam Chomsky, ele afirma que a ameaça à
humanidade é na verdade Israel, pois é o único país no Oriente Médio que possui
arsenal nuclear e adquirido de forma totalmente clandestina. E se consideramos
o modus operandi israelense, devemos nos preocupar em dobro. Já assassinaram
JFK porque queria intervir no FED, mataram Yitzhak Rabin no meio da rua de Tel
Aviv, em plena luz do dia, em 4 de Novembro de 1995 usando um estudante judeu
ortodoxo chamado Yigal Amir, o motivo? Rabin queria selar a paz com os
Palestinos. Criaram o 11-S, matando mais de 3 mil pessoas, para ter o pretexto
de atacar todos os países ricos em petróleo do Oriente Médio e criar um “Grande
Israel”. Portanto, são capazes de praticar qualquer ação terrorista para
atingir seus objetivos.
Vale
lembrar o que Adrián Salbuchi revelou em seu artigo “Dez perguntas aos
sionistas israelenses”. -” O exército israelense surgiu da fusão em 1948 de
três grandes organizações terroristas: os grupos Stern, Irgun e Zvai Leumi que
antecipou ao surgimento do Estado de Israel, perpetraram crimes terroristas
como o assassinato do mediador da ONU na Palestina, Conde Bernadotte
(organizado pela guerrilha a cargo de Ytzakh Shamir, logo primeiro ministro
israelense), e o ataque terrorista com bombas em 1947 contra o Hotel Rei David
de Jerusalém, sede do comando militar britânico (perpetrado pela guerrilha de
Menahem Beghin, logo também primeiro ministro israelense).”
Vemos
que desde a fundação de Israel pela famíla de banqueiros Rothschild, este
estado criminoso que não representa os judeus se tornou a escola do terrorismo,
do ódio e do racismo. Eles assassinam qualquer um que contrariar seus
interesses financeiros e políticos. E com isto, conseguem chantagear e obrigar
que nações sob controle sionista atuem à seu favor.
Atualmente
o MOSSAD israelense é o responsável pelas encomendas de assassinatos e ações
terroristas pelo mundo.
Existem
vídeos no Youtube onde se vê rabinos aos gritos dizendo que a criação de Israel
antes da vinda do Messias é uma blasfêmia. Israel só poderia ser criado após a
sua chegada, de acordo com seus preceitos religiosos e jamai através da invasão
e assassinato em massa de palestinos.
Por
trás deste confilto Israel-Irã se esconde um objetivo ainda maior, atacar a
Rússia e a China, Irã e Síria são apenas obstáculos a serem ultrapassados,
basta revisar os últimos dez anos e veremos que desde o 11-S todos os países do
Oriente Médio foram invadidos e pilhados por forças controladas pelo lobby
judaico-sionista utilizando para isto a mentira de “armas de destruição em
massa”.
Se
os sionistas/Illuminati controlam todas as potências globais, a guerra mundial
ocorrerá porque foi planejada por eles para acontecer. A menos que ocorra algum
evento inesperado e não planejado que o impeça.
O
objetivo da próxima guerra é destruir tudo, para depois reconstruir novamente e
aqueles que restarem irão implorar por empreśtimos aos mesmos
bancos(propriedades sionistas) que lucraram com a guerra, foi assim nas duas
últimas guerras mundiais e será novamente na próxima. A indústria da morte é
muito lucrativa e eles são especialistas neste assunto.

Clique Aqui para ler a segunda parte de entrevista com o Blogueiro Eguevara

*A
entrevista do Blogueiro EGuevara não representa necessariamente a opinião do
Blog Revelação Final

Aguardem a publicação da segunda parte da entrevista

 

Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta