Nova ordem mundial está nascendo, diz líder supremo do Irã em encontro de países

A
abertura da 16ª Cúpula dos Países Não Alinhados nesta quinta-feira (30/08) foi
marcada por críticas ao Conselho de Segurança das Nações Unidas e à ordem
política mundial protagonizada pelos Estados Unidos e seus aliados. No entanto,
o que prevaleceu foi o sentimento de que uma nova ordem mundial está sendo
constituída.

Por
ser o anfitrião do evento, o líder iraniano Ayatollah Seyyed Ali Khamenei fez o
discurso inicial perante representantes de 107 países e pediu sua união para a
constituição de uma nova força política que possua valores diferentes dos
norte-americanos. Segundo ele, o Movimento de Países Não Alinhados são contra o
colonialismo e a dependência cultural, política e econômica.

“O
mundo está em transição para uma nova ordem internacional e o Movimento de
Países Não Alinhados pode e deve desenvolver um novo papel”, afirmou ele.
Khameini destacou que existe solidariedade e cooperação entre os países membros
do grupo por mais de cinco décadas, mas reafirmou a importância de maior
aproximação com a atual conjuntura política.

Para
o líder iraniano, existem condições históricas, como os protestos e
transformações ao redor do mundo, que apontam para o nascimento de uma nova
ordem. “O coletivo vai desenvolver esforços para mudar a realidade e alcançar
os valores que acredita”, disse ele.
Khameini
também criticou a estrutura “não democrática, irracional e injusta” do Conselho
de Segurança da ONU. “É uma forma flagrante de ditadura, é inadequada e
obsoleta”, disse ele. ”Os EUA e seus aliados protegem os interesses ocidentais
no nome dos ‘direitos humanos’, interferem militarmente em outros países em
nome da ‘democracia’ e atingem pessoas indefesas para ‘combater terrorismo’”,
acrescentou.
Histórico
As
cúpulas do Movimento de Países Não-Alinhados são realizadas a cada três anos e
a anterior aconteceu em 2009, no Egito, onde foi decidido que a seguinte seria
no Irã, país que assumiu a presidência rotativa da organização até 2015. O
encontro termina nessa sexta-feira (31/08).

O
Movimento dos Países Não-Alinhados, fundado formalmente em 1961, reúne quase
dois terços dos Estados-membros das Nações Unidas, especialmente da Ásia,
África e América Latina, que têm pouco mais da metade da população mundial.

Durante
a Guerra Fria, na segunda metade do século passado, se agruparam no grupo a maior
parte dos Estados não oficialmente alinhados nem com o bloco ocidental nem com
o soviético, a fim de manter sua independência.
Após
o final da Guerra Fria, o movimento se mantém, embora muitos de seus membros
apontem que deve adaptar-se à nova estrutura geopolítica mundial se quiser
sobreviver.
Fonte: http://operamundi.uol.com.br
Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta