Cientista admite presença de vírus da AIDS e causadores de câncer em vacinas

Li
isso em um fórum e estou reproduzindo tudo aqui pois achei de muita importância
a divulgação desse material que denuncia que algumas vacinas , como a pólio
causaram câncer e outras foram infectadas como o vírus da AIDS. Os vídeos estão
em inglês, para ativar a legenda clique em CC e depois traduzir legendas. No
fim segue a tradução da entrevista do cientista da Merck.


Vamos
lá:
Nesta
entrevista o Dr. Maurice Hilleman revela algumas revelações surpreendentes. Ele
admite que as vacinas de droga Merck empresa (Polio) havia sido deliberadamente
contaminada com SV40, um vírus que causam câncer . Durante anos, os
pesquisadores sugeriram que milhões de frascos de vacina contra a poliomielite,
contaminada com SV40, os indivíduos infectados o que causou humana tumores, e
em 1999, a evidência molecular de SV40 infecções foram aparecendo em crianças
nascidas depois de 1982.
Alguns
especialistas agora sugerem que o vírus pode ter permanecido na vacina contra a
poliomielite até tão tarde quanto 1999. Em 2002, a The Lancet publicou
evidências convincentes de que a vacina contra a poliomielite contaminados foi
responsável por até metade dos 55 mil casos não-Hodgkin linfoma que estavam
ocorrendo cada ano.
 E há a probabilidade de que houve uma
importação e difusão do vírus da Aids da mesma maneira, como revelado no vídeo.
No início ninguém podia entender como o vírus foi transmitido para a população
humana, mas este vídeo chocante prova que ele foi deliberadamente adicionados à
vacina por Dr. Maurice Hilleman, que era “boa ciência” na época.
Apenas
quem é o Dr. Maurice Hilleman? Agora, para aqueles de vocês que podem pensar
Dr. Hilleman era apenas maluco outro (passou afastado em 2005), pense
novamente. Ele era, e ainda é, o pioneiro da vacina levando na história das vacinas.
Ele
desenvolveu mais de três dezenas de vacinas, mais do que qualquer outro
cientista na história e foi o criador do programa da Merck vacina. Ele era um
membro da National EUA Academy of Science, do Instituto de Medicina, a Academia
Americana de Artes e Ciências, e da Sociedade Filosófica Americana, e recebeu
um prêmio especial da vida da Organização Mundial de Saúde. Quando ele era
chefe do Departamento de Doenças Respiratórias com o que está agora o Walter
Reed Army Institute of Research, descobriu as mudanças genéticas que ocorrem
quando a gripe a mutação do vírus, conhecido como deslocamento e desvio. Ele
também foi um dos pioneiros da vacina cedo para alertar sobre a possibilidade
de que os vírus possam contaminar símia vaccines.So Dr. Hilleman sabia o que
estava falando.
 E em suas próprias palavras, “as vacinas
têm de ser consideradas a tecnologia do porão de negócio para o século
20.”

A
reportagem traduzida do video acima:
Um
dos cientistas vacina mais proeminente na história da indústria de vacinas – um
cientista Merck – fez uma gravação onde ele admite abertamente que as vacinas
dadas para os americanos estavam contaminadas com vírus da leucemia e câncer.
Em resposta, seus colegas (que também são registrados aqui) sair na gargalhada e
parecem pensar que é divertido. Eles, então, sugerir que porque estas vacinas
são testados na Rússia, eles vão ajudar os EUA a vencer os Jogos Olímpicos,
porque os atletas russos serão todos
Um
dos mais proeminentes cientistas de vacinas na história desta indústria -um
investigador dos Laboratórios Merck- fez uma gravação onde abertamente admite
que produziram vacinas contaminadas com leucemia e vírus cancerígeno.
Em
uma gravação de finais da década de 70 do século passado, onde aparece o Dr.
Maurice Hilleman conversando com seus colegas, o cientista admite em meio a uma
explosão de risos que com estas vacinas os Estados Unidos poderiam ganhar as
olimpíadas na União Soviética (1980), porque os atletas russos estariam então
“cheios de tumores”, o que prova que eles sabiam que as vacinas
causavam câncer em humanos.
Esta
não é uma teoria de conspiração, mas sim as palavras de um importante
cientistas dos laboratórios Merck, Dr. Maurice Hilleman, que provavelmente não
tinha ideia de que esta gravação seria amplamente divulgada através da
internet, que sequer existia quando gravou seu testemunho.
O
cientista provavelmente pensou que isto permaneceria em segredo para sempre.
Quando lhe perguntaram por que isto não saiu na imprensa, ele respondeu:
“Obviamente isto não sai, isto é um assunto científico dentro da
comunidade científica”.
Transcrição
da entrevista com o Dr. Maurice Hilleman
Graças
ao Dr. Len Horowitz, famoso por suas denúncias dos experimentos com vacinas da
CIA, por faze-la pública. Um fragmento desta entrevista aparece em seu
documentário In Lies We Trust: The CIA, Hollywood, and Bioterrorism 2007):
Dr.
Len Horowitz: Escute agora a voz do expert mundial em vacinas, Dr. Maurice
Hilleman, Chefe da Divisão de Vacinas da Companhia Farmacêutica Merck, que
transmite este problema que estava tendo com macacos importados. Ele explica
melhor a origem da SIDA, mas o que você vai escutar foi censurado originalmente
à opinião pública.
Dr.
Maurice Hilleman: Penso que as vacinas devem ser consideradas uma tecnologia de
oportunidades para o século 20.
Narrador:
Faz 50 anos quando Maurice Hilleman era um estudante do secundário em Miles, Montana,
e esperava que poderia se qualificar como aprendiz de gerente para a loja local
de JC Penney. Ao invés disso, passou a avanços pioneiros em investigação e
desenvolvimento de vacinas como ninguém na história da medicina dos Estados
Unidos. Entre os descobrimentos que fez na Merck, estão as vacinas de papeira,
rubéola e sarampo (…)
Dr.
Edward Shorter: Diga-me agora como você encontrou a vacina de pólio e SV40.
Dr.
Maurice Hilleman: Bem, isso foi na Merck. Sim, eu fui à Merck. Ia desenvolver
vacinas. E tínhamos vírus selvagens naqueles dias. Você se lembra dos vírus de
rim em macacos selvagens e assim sucessivamente? E finalmente logo após seis
meses me dei por vencido e disse que não podia desenvolver vacinas com este
macacos condenados, que haviamos terminado e que se não podia fazer algo iria
renunciar, e não ia tentá-lo. Assim que fui ver Bill Mann no zoológico em
Washington D.C. e lhe disse, “Veja, tenho um problema e não sei que
demônios fazer”. Bill Mann é um sujeito muito brilhante. Ele disse, muito
simples, obtenha seus macacos na Africa Ocidental e consiga os macacos verdes
africanos, traga-os a Madrid, descarregue-os aqui, não há outro tráfico aqui
para animais, traga-os em avião a Filadélfia e recolha-os. Leve-os por avião a
Nova York e recolha-os direto do avião. Assim trouxemos os macacos verdes
africanos e não sabia que estávamos importando o vírus da AIDS nesse momento.
Se
escutavam várias vozes ao fundo (…) (risos) foste tu o que introduziu o vírus
da AIDS no país. Agora sabemos (risos) Esta é a verdadeira história! (risos) O
que não faria a Merck para desenvolver uma vacina! (risos)
Dr.
Maurice Hilleman: Assim que ele fez, ele trouxe, quero dizer que trouxemos
esses macacos, só tinham esses e esta foi a solução porque esses macacos não
tinham os vírus selvagens mas nós…
Dr.
Edward Shorter: Espere, por que os macacos verdes não tinham os vírus selvagens
desde que vieram da Africa?
Dr.
Maurice Hilleman: (…) porque eles não estavam, não estavam, não estavam sendo
infectados nestes grupos com todos os outros 40 vírus diferentes (…)
Dr.
Edward Shorter: mas eles tinham os que haviam trazido da selva ainda que…
Dr.
Maurice Hilleman: Sim, eles tinham isso, mas eram relativamente poucos e os que
você tem é um grupo de colonias e vai ter uma transmissão epidêmica da infecção
em um espaço confinado. De todas as formas, os macacos verdes chegaram e agora
temos estes e estamos tomando nossas cautelas para limpa-los e Deus sabe que
estou descobrindo novos vírus. Bom, teve um convite da Fundação Hermana Kinney,
que era a fundação rival contrária a utilizar vírus vivo …
Dr Edward Shorter: Ah, bem (…)
Dr
Maurice Hilleman: Sim, à maneira do Sabin, ele me pediram que desse uma
conferência na reunião da Fundação Hermana Kinney e vi que era uma reunião
internacional e Deus, do que vou falar? Eu sei o que vou fazer, vou falar da
detecção de vírus…
O
Dr. Albert Sabin … há aqueles que não queriam vacina de vírus vivo…
(incompreensível) … concentrou todos seus esforços em obter mais e mais
pessoas para utilizar a vacina de vírus mortos, enquanto eles estavam me
apoiando para a investigação sobre os vírus vivos.
Dr
Maurice Hilleman: Como agora tenho que ter algo (risos), você sabe que isso vai
atrair a atenção. E caramba, pensei que esse SV40 condenado, quero dizer, esse
agente vacinante condenado que temos, só vou colher esse em particular, esse
vírus tem que estar nas vacinas, tem que estar nas vacinas de Sabin assim que
rapidamente o provei (risos) e certamente estavam aí.
Dr
Edward Shorter: Serei um condenado
Dr
Maurice Hilleman:… E assim que agora…
Dr
Edward Shorter: … então você só pegou das prateleiras reservas das vacinas de
Sabin aqui na Merck…
Dr
Maurice Hilleman: .. Sim, o que de bom se havia feito, se fez na Merck…
Dr
Edward Shorter: Estava fazendo-o para Sabin nessa época?
Dr.
Maurice Hilleman: Sim, fiz antes que chegasse…
Dr
Edward Shorter: Sim, mas nessa época Sabin só estava fazendo provas massivas de
campo…
Dr. Maurice Hilleman: …oh
Dr Edward Shorter: ok,
Dr.
Maurice Hilleman: … na Rússia e assim sucessivamente. Assim que falei sobre a
detecção de vírus não detectáveis e disse a Albert, “ouça Albert sabes que
tu e eu somos bons amigos mas irei além e vai irritá-lo. Vou falar sobre o
vírus que está na sua vacina. Vai se desfazer do vírus, não se preocupe por
isso, já vai se desfazer disso… mas, certamente que Albert estava muito
irritado…
Dr.
Edward Shorter: O que ele disse?
Dr.
Maurice Hilleman: bom, ele basicamente disse, que isto é só outro ofuscamento
que vai perturbar as vacinas. Disse bem você sabe, está absolutamente correto,
mas temos uma nova era aqui de detecção e o importante é desfazer-se desses
vírus.
Dr
Edward Shorter: Por que chamaria de ofuscamento se era um vírus que estava
contaminando a vacina?
Dr.
Maurice Hilleman: … bom, há 40 vírus diferentes nestas vacinas que de qualquer
forma estávamos inativando e ah,
Dr
Edward Shorter: mas você não estava inativando o pensamento dele…
Dr.
Maurice Hilleman: não, isso é correto, mas a vacina da febre amarela tinha o
vírus de leucemia nela e você sabe isto foi nos dias da ciência muito crua. De
todas as formas, fui e falei com ele e disse, bem por que você está preocupado
por isso? “Direi a você que, tenho uma sensação em meus ossos de que este
vírus é diferente, não sei por que digo a você isto mas eu… só penso que este
vírus terá algo de efeito de longo prazo”. E ele disse o quê? e eu
respondi “câncer”. (Risos) Ele disse, Albert, você provavelmente
pensa que estou louco, mas só tenho é sensação. Bom, entretanto pegamos esse
vírus e o pusemos nos macacos e nos hamsters. Assim que tivemos essa reunião e
esse foi o tipo de tema do dia e as piadas que estavam por aí eram que
“caramba, ganharíamos as olimpíadas porque os russos estariam todos cheios
de tumores”. (Risos). Aqui foi de onde a vacina estava sendo provada, este
era o lugar de onde… assim que, realmente destruiu a reunião e foi o tipo de
tema. Bom, de todas as formas…
Dr
Edward Shorter: Foi esta a reunião dos médicos em Nova York?
Dr.
Maurice Hilleman: bom não, isto foi na Fundação Hermana Kinney…
Dr Edward Shorter: Hermana
Kinney, correto…
Dr.
Maurice Hilleman: … e Del Becco se levantou e previu problemas com esta
classe de agentes.
Dr
Edward Shorter: Por que isto não saiu na imprensa?
Dr.
Maurice Hilleman: …bom, creio que sim, não lembro. Não tivemos nenhum
comunicado de imprensa sobre isso. Obviamente você não sai, este é um assunto
científico dentro da comunidade científica…(Piada)
Voz
de um repórter… Uma vitória histórica sobre uma temida enfermidade é
descoberta na Universidade de Michigan. Aqui os cientistas entram em uma nova
era médica com os informes monumentais que provam que a vacina de Salk contra o
pólio será um êxito sensacional. É um dia de triunfo para o Dr. Jonas E. Salk
de 40 anos, criador da vacina. Ele chega com Basil O’Connor, o chefe da
Fundação Nacional de Paralisia Infantil, que financiou as provas. Centenas de
repórteres e cientistas de todo o país se reúnem para o momento do anúncio …
Dr.
Albert Sabin: … era show demais, era Hollywood demais. Havia exagero demais e
a impressão que foi em 1957, e não em 1954 que se deu de que o problema havia
sido resolvido, o pólio havia sido conquistado.
Dr.
Maurice Hilleman: … mas, de todas as formas sabíamos que estava em nossa
reserva de sementes a fabricação de vacinas. Esse vírus, é um de cada 10.000
partículas não ativado … foi boa ciẽncia nesse momento porque isso foi o que
fiz. Não se preocupou sobre estes vírus selvagens.
Dr.
Edward Shorter: Então, você o descobriu, não estava ativado na vacina de Salk?
Dr.
Maurice Hilleman: … Correto. Assim o que se sabe é, 3, 4 semanas depois que
encontramos isso haviam tumores aparecendo nesses hamsters.
Dr.
Len Horowitz: apesar da AIDS e a leucemia repentinamente convertendo-se em
pandemia por “vírus selvagens”, Hilleman disse que esta foi uma
“boa ciência” naquele momento.

Fonte: http://nosdiasdenoe.blogspot.com.br/

Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta