Plano de Segurança com mísseis preocupa londrinos

Com pouco menos de um mês para o início das olimpíadas, autoridades
militares da capital inglesa planejam a instalação de mísseis de alta
velocidade nos telhados de prédios residenciais para reforçar a
segurança do evento.
Cerca de 700 moradores dos arredores do Parque Olímpico foram
surpreendidos, esta semana, ao receberem panfletos informando que um
grupo de soldados e policiais ocupará o edifício Lexington e a Torre
Fred Wigg para o treinamento de atividades com mísseis Starstreak. Os
prédios servirão de base militar até o encerramento dos Jogos Olímpicos.

Além dos dois edifícios citados, outros quatro já foram escolhidos
pelo governo Britânico, mas esperam aprovação para a instalação de
mísseis tipo Rapier e, em breve, poderão estar submetidos a testes
manejados pela Artilharia Real Britânica.
Se o Plano de Segurança Aéreo for aprovado, o Primeiro Ministro David
Cameron terá o poder de ordenar que as Forças Armadas derrubem qualquer
aeronave não autorizada no espaço aéreo londrino. Jornais locais já
estão cogitando a possibilidade de a cidade testemunhar uma demonstração
de força militar não vista desde a II Guerra Mundial.
Entretanto, antes mesmo do plano ser aprovado, moradores do leste de
Londres já entraram com ações judiciais e iniciaram protestos contra a
implementação do sistema de segurança aéreo. “Eles nem nos perguntaram
se somos a favor da instalação de mísseis nos telhados ou da
transformação de nossas residências em bases militares”, disse um dos
moradores.
Os investimentos para os Jogos Olímpicos somam 9 bilhões de libras.
Um pelotão de aproximadamente 13.500 militares já foi recrutado para
garantir a segurança do evento que se inicia no dia 27 de julho.
Fonte: IAnotícia
Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta