Facebook espia seus chats na busca por comportamentos suspeitos

Estado
Policial e Vigilancia.
Citando
a necessidade de vigiar a potenciais abusos sexuais, Facebook está usando um
software que rastreia conversas privadas em busca de comportamentos suspeitos,
e palavras chave, antes de alertar aos empregados da rede social para que
decidam entregar a informação ou não a polícia.

A
revelação foi divulgada durante uma entrevista a Reuters com o Chefe de
segurança do Facebook, Joe Sullivan.
Apesar
de que o artigo reconhece que delitos sexuais contra crianças na internet estão
 diminuindo, a matéria  cita uma infinidade de casos onde isto estão
sendo seduzidos em linha. Logo revela que “usuários (de Facebook) poderiam
ficarem  nervosos pelo grau em que suas
conversas são revisadas, ao menos por programas de computador”.
O
software usado por Facebook para monitorar conversações  funciona buscando “comunicação imprópria” e
analisando “padrões de comportamento”.
Palavras
ou frases consideradas vulgares, ou um intento por intercambiar informação
pessoal, são marcadas em vermelho e levadas a atenção dos empregados de
Facebook, quem são os  que  decidem se o conteúdo merece ser transferido
para à polícia.
Demasiadas
mensagens  sem resposta também incidem
o  alarme, caracterizando o conteúdo como
“suspeito”.
O
artigo não afirma se os arquivos de registros de chat são armazenados e por
quanto tempo, porém agrega que um software similar é utilizado por outros de
sites redes sociais.
Em
seu  web site, Facebook reconhece que
compartilha informação sobre usuários, incluso em ausência de uma ordem
judicial e outro requerimento legal:
“Também
podemos compartilhar informação se 
acreditamos de boa fé que resulte necessário para impedir uma fraude ou
outra atividade ilegal, evitar um dano físico iminente ou proteger-nos tanto a
nós como ao usuário de pessoas que infrinjam nossa Declaração de direitos e
responsabilidades. Isto pode incluir compartilhar informação com outras
empresas, advogados, tribunais ou outras entidades governamentais.”
Em
anos recentes, Facebook foi confrontado em  
numerosas controvérsias relacionadas a 
privacidade. Em fevereiro, a companhia negou uma reportagem  do Sunday Times, que afirmava que Facebook
lê  em segredo textos enviados por
usuários de seu aplicativo de Android.
O
governo  norte americano  está solicitando ativamente informação  do Facebook. O último mês, o Departamento de
Estado emitiu um requerimento, buscando ferramentas que entregaram uma “análise
profunda de temas, conversações, redes, pessoas de influência da web social
global”.
Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta