O Vaticano propõe criar uma Autoridade Política Mundial para afrontar a crise

O Pontífice Conselho para “Justiça e Paz” do Vaticano, presidido pelo
cardeal Peter Turkson, propôs a criação de uma Autoridade Política
Mundial e um Banco Central Mundial para favorecer “mercados livres e
estáveis, disciplinados por um quadro jurídico adequado” frente a atual
crise econômica e financeira.
Segundo explicado o dicasterio(sic) vaticano, esta Autoridade deveria
ter “um horizonte planetário” à serviço “do bem comum”, embora tenha
precisado que esta autoridade “não pode ser imposta pela força, senão a
expressão de um acordo livre e compartilhado” entre os países. “O
exercício de uma autoridade assim terá que ser necessariamente
super-partes”, destaca a nota publicada pela Rádio Vaticana.
Assim, a Santa Sede sublinhou que os governos “não deverão servir
incondicionalmente à autoridade mundial” senão que, pelo contrário, deve
ser esta autoridade “a que deve estar à serviço de todos os países
membros, segundo o princípio de subsidiariedade”.
O Vaticano recordou que o objetivo desta autoridade será “criar
mercados eficientes e eficazes para que não estejam protegidos por
políticas nacionais paternalistas” e promover “uma equitativa
distribuição da riqueza mundial” mediante “formas inéditas de
solidaridade fiscal global”.
Não obstante, o Vaticano precisou que “ainda resta muito caminho por
recorrer antes de criar uma autoridade pública com competência
universal”, embora tenha lembrado que será necessária “uma prévia
prática do multilateralismo”. Segundo indica, a Organização das Nações
Unidas(ONU) seria a encarregada de criar esta autoridade mundial.
BANCO CENTRAL MUNDIAL
Além disto, o dicasterio vaticano destacou que a economia “necessita
da ética para seu correto funcionamento” e recuperar também “o primado
do espiritual e a ética”, assim como “medidas de taxação das transações
financeiras, mediante quotas equitativas” para contribuir “com a
constituição de uma reserva mundial e sustentar as economias dos países
golpeados pela crise”.
Por isto, o Vaticano pediu que se proceda com a reforma “do sistema
monetário internacional” para dar vida “a uma forma de controle
monetário global” e sublinhou que o Fondo Monetário Internacional (FMI)
“perdeu sua capacidade de garantir a estabilidade financeira global”.
Assim, a Santa Sede precisou que é necessário um organismo que
desenvolva as funções de “um banco central mundial que regule o sistema
das mudanças monetárias” e regule as atividades “bancárias e
financeiras”.
Segundo explica a nota do dicasterio, a comunidade internacional deve
criar um corpo legislativo “mínimo e composto de regras” para gerenciar
“o mercado financeiro global”.
Fonte: europapress, visto em Rafapal
Comentário do blog:
A Nova Ordem Mundial está ai, sendo estabelecida bem na cara da
humanidade, e as massas ainda permanecem enganadas com “crise”. Que
crise?
Não existe “crise” alguma! Se trata de golpe financeiro através dos
bancos. A politicagem corrupta serve para isto, eles endividam
propositalmente os países com os banqueiros sionistas para que a
população fique eternamente pagando juros em cima de um dinheiro que não
existe! A ideia é “emprestar” bilhões de dólares e ficar décadas
recebendo juros compostos em cima do principal. os banqueiros não querem
receber o principal, querem receber juros, e a cada golpe deste que
eles aplicam em alguma nação, ficam cada vez mais ricos e poderosos. É o
mesmo que foi feito na América Latina na década de 80.
E logo quem vêm falar de “autoridade política mundial”, o Vaticano em
conjunto com a ONU. Justamente o antro de pedófilos e bandidos ,
enquanto um lava o dinheiro do narcotráfico mundial e mantem as massas
submissas, o outro insere a doutrina gay e pedofilia na sociedade
através de políticas de “direitos humanos”.
Enquanto os ingleses estúpidos estão pensando se a “crise” vai afetá-los, a sionista Elisabeth II passará a receber de “salário” R$115 milhões.
Na Grécia, enquanto a população morre de fome e se suicida, o governo
marionete dos banqueiros aprovou uma compra milionária de tanques e
munições. Para lutar contra quem se não há ameaça de invasão por parte
de nenhum país?
É fraude, golpe, estelionato, chame como quiser, mas não existe crise alguma!
O câncer que assola este planeta se chama BANQUEIROS e POLÍTICOS.
Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta