Sociólogo prevê uma interversão militar em toda América Latina pelo EUA começando pela Venezuela, o Brasil não vai escapar!

Aviso
ao presidente Hugo Chávez sobre o perigo de uma possível intervenção militar dos
Estados Unidos sobre a Venezuela  , estão
plenamente justificados, disse Atilio Boron, cientista político e sociólogo
argentino. Durante uma entrevista transmitida pela Venezolana de Televisión,
Boron se referiu a este aviso durante uma entrevista em Buenos Aires com Mario
Silva, apresentador do Hojilla.


“Nós não devemos esquecer as 46 bases
militares dos EUA que existem na América Latina”,
frisou e acrescentou que
há um plano claro para tentar novamente colocar a região sob sua tutela.
“Vou tentar por qualquer meio e começará com a Venezuela”, disse ele,
observando que, se pudessem destruir o processo político que conduz Chávez, o
resto seria mais fácil para eles.
 

“Eu não tenho nenhuma dúvida que os
estrategistas de Washington tenham vários cenários de intervenção na América
Latina “, advertiu Boro e lembrou que não as bases militares apenas aponta
para a Venezuela, mas também em outros países, incluindo o Brasil, que é
praticamente cercado.
Fonte:http://www.aporrea.org –Tradução Google – Adaptação Revelação Final
Análise
do Blog:
Fica
evidente que a agenda esta em processo de aceleração, assim como aconteceu em alguns países
árabes e africanos, a América Latina não espaçará da  militarização americana, o objetivo principal
é tirar de cena o ditador venezuelano Hugo Chávez, que é sem dúvidas um entrave,
uma pedra no sapado da elite para a implantação da NOM, visto que Chávez  tem aversão a elite sionista, e já fez
diversas declarações acusando os globalistas de deterem a maioria dos bancos
mundiais, atuar fortemente dos bastidores  e nas decisões da política global em todo
mundo, e possuírem 80% da mídia de massa, ele sem dúvidas será o próximo ditador
opositor da NOM a  ser destronados,
portanto, o foco dessa possível militarização sem duvidas  é a retirada de Hugo Chávez do poder.
Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta