Propaganda Estilo Minority Report de Tecnologia para reconhecimento facial é lançada em Londres

Tecnologia
de reconhecimento facial classificada como “assustadora”
Câmeras
de reconhecimento facial de alta definição foram instaladas em um ponto de
ônibus na Rua Oxford,  em Londres, como
parte de uma nova campanha de publicidade invasiva, que utiliza tecnologia ao
estilo de Minority Report para transmitir um conteúdo de propaganda específico
para cada sexo.


Com uma estimativa de acerto de 90 por cento, o computador embutido no
dispositivo analisa e adivinha o sexo baseado em características faciais
específicas do queixo, maçãs do rosto, nariz e olhos. Com base no resultado
sobre o sexo de um pedestre, o dispositivo digital mostra uma propaganda
dirigida a um homem ou a uma mulher.
Uma vez que essa tecnologia continue sendo
aplicada no campo da publicidade, o computador também poderia avaliar a idade,
raça ou tipo de corpo de uma pessoa, ” relata o Digital Trends .
O
anúncio de $60.000 dólares, exibido em uma tela que é um cruzamento entre um
iPad e um Xbox Kinect, reproduz uma mensagem de vídeo de 40 segundos quando o
rosto de uma mulher é reconhecido, mas apenas uma curta mensagem se um homem
passar em frente. “ Nós não estamos dando aos homens e rapazes a opção de ver o
anúncio completo nesta ocasião – assim eles tem uma ideia de como é ter as
opções básicas removidas, ” disse Marie Staunton, executiva-chefe da Plan UK, a
organização apresentada no anúncio.
A
tecnologia propriamente dita foi desenvolvida pelo Clear Channel UK e pela 3D
Exposure, que afirmam que embora tenham sido expressas preocupações comas
pessoas sendo submetidas a propagandas invasivas no estilo Minority Report, o
que eles estão trabalhando para os futuros projetos “pode em breve superar o
que vimos no cinema. “
O
grupo de vigilância da privacidade Open Rights Group classificou a idéia como “
assustadora ”.
O
filme de 2002, estrelado por Tom Cruise, mostra o personagem de Cruise andando
por uma estação de metrô enquanto sensores que lêem seus olhos dirigem-se a ele
pelo nome e bombardeiam-no com anúncios personalizados. Outra parte mostra
pessoas embarcando em um trem igualmente tendo a íris verificada para serem
autorizados. O filme foi baseado em uma curta história distópica de Philip K.
Dick, o qual advertiu como tal tecnologia poderia ser usada no futuro para
esmagar a privacidade e as liberdades civis.
O
Clear Channel não é de forma alguma a única grande empresa trabalhando na nova
onda de publicidade invasiva. Ano passado, a IBM anunciou que eles estão
planejando coletar a “ tecnologia RFID que as pessoas carregam com elas ”, para
adequar anúncios aos gostos específicos dos consumidores.
Anteriormente
nós mostramos o fato de que a indústria privada e, eventualmente o governo,
estão determinados a aplicar planos de usar microfones e câmeras nos
computadores e equipamentos como o TiVo de centenas de milhões de americanos
para monitorar as escolhas de seus estilo de vida e traçar perfis psicológicos,
que seriam utilizados para publicidade invasiva e coleta de dados.
Em
2006, o Google anunciou que eles usariam microfones embutidos para ouvir os
ruídos de fundo do usuário, seja televisão, música ou rádio – e depois
direcionar a propaganda para eles baseado em suas preferências.

A idéia é usar o microfone  existente no
PC para escutar tudo o que é ouvido ao fundo, seja música, seu telefone
descarregando ou a TV sendo desligada. O PC, em seguida identifica-os usando
impressões digitais, e então mostra a você conteúdo relativo, sejam anúncios ou
resultados de pesquisa, ou uma sala de bate-papo sobre o assunto ” , informou o
Register .
A
expiração de uma patente chave da tecnologia está pavimentando o caminho para
uma disputa entre dezenas de empresas de pesquisa e desenvolvimento biométrico,
todas desesperadas para criar sua própria versão comum da tecnologia de
reconhecimento da íris, efetivamente criando uma sociedade tipo Minority Report
na vida real, onde todos estão vinculados a um banco de dados de identificação.
Conforme
detalhado pelo Bloomberg News , a patente para registrar as características
únicas da Íris como uma forma de identificação foi concedida a dois
oftalmologistas em 1987, que então propuseram a um professor da Universidade de
Cambridge desenvolver uma maneira de automatizar a identificação da íris. Esta
patente adicional foi concedida em 1994, mas expirou ano passado, abrindo a
porta para a nova onda de tecnologia de publicidade invasiva ser implementada.
As
principais empresas de marketing acreditam que nos próximos cinco anos a
tecnologia de reconhecimento da íris vai gerar mais de $2 bilhões em receita,
ao se tornar parte da rotina da vida cotidiana.
Os
incontáveis pontos de ônibus em Londres, tem sido frequentemente utilizados
como campo de testes para iniciativas do tipo Big Brother. Em 2002, a Transport
For London exibiu um outdoor para promover a sua tecnologia de vigilância de
CFTV que mostrava íris Orwellianas nos céus de Londres debaixo dos dizeres
“Seguro sob o olhos atentos“
*********************
Paul
Joseph Watson é o editor e redator do PrisonPlanet.com. Ele é o autor de Order
Out Of Chaos. Watson também é um apresentador ocasional do Alex Jones Show.
Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta