A indústria eugenista do fumo matará 1 bilhão de pessoas até o fim do século

Um
bilhão de pessoas devem morrer por uso e exposição ao fumo até o final deste
século. O número é equivalente a uma morte a cada seis segundos.
A
previsão consta de relatório da Fundação Mundial do Pulmão e da Sociedade
Americana do Câncer.

Na
última década, as mortes pelo uso de tabaco triplicaram, chegando a 50 milhões.
Somente em 2011, 6 milhões de pessoas morreram, sendo 80% delas em países
pobres e em desenvolvimento.
Imagem: Google
De
acordo com a fundação, o cigarro e outros derivados de tabaco são responsáveis
por 15% das mortes de homens em todo o mundo e 7% entre as mulheres.
As
projeções se baseiam no fato de que estudos indicam que o organismo de quem
fuma continuadamente fica mais propenso a desenvolver doenças como câncer,
ataques cardíacos, diabetes, doenças respiratórias crônicas, dentre outras.
A
China é o país onde há mais vítimas do fumo. A cada ano, 1,2 milhão de pessoas
morrem em decorrência do uso do tabaco. Esse número deve saltar para 3,5
milhões até 2030, segundo as entidades, que elaboram um atlas com dados sobre
os efeitos do tabaco desde 2002.
Conforme
o relatório, a indústria do tabaco tem trabalhado em todas as partes do mundo
para postergar ou abolir a adoção de medidas contra o hábito de fumar, como
propagandas de advertência, leis de restrição ao consumo e introduzindo no
mercado produtos ditos de baixo teor.
Nos
últimos dez anos, 43 trilhões de cigarros foram consumidos e a produção cresceu
16,5% no mesmo período.
No
Brasil
No
último dia 13, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu a
fabricação e venda de cigarros com sabor no país, entre eles, os mentolados e
de cravo.
Para
a agência reguladora e entidades de combate ao tabagismo, os cigarros com sabor
são usados pela indústria para atrair jovens e adolescentes. Os fabricantes
rebatem a crítica e alegam que a proibição vai aumentar o comércio ilegal
desses produtos no Brasil
O
que as seis maiores empresas do ramo tabagista lucraram em 2010 equivale a US$
6.000 por cada morte causada pelo fumo nesse ano.
Essa
é a conclusão da quarta edição do Atlas do Tabaco, lançado pela Sociedade
Americana do Câncer e pela Fundação Mundial do Pulmão, durante a 15ª
Conferência Mundial Tabaco ou Saúde, em Cingapura.
Segundo
o documento, as seis empresas líderes lucraram US$ 35,1 bilhões em 2010,
concentrados na empresa estatal chinesa de tabaco (US$ 16 bilhões) e na Philip
Morris (US$ 7,5 bilhões). Esse lucro é maior, diz o atlas, que o da Coca-Cola,
da Microsoft e do McDonald’s somados.

o número de mortes pelo fumo se aproximou de 6 milhões em 2010, 80% fora dos
países desenvolvidos.
Fonte: http://www.folha.uol.com.br/
Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta