A economia europeia vai piorando e a Terceira Guerra Mundial está a caminho, diz o ex-presidente de Portugal

“Se
não se luta e não se muda de paradigma podemos estar a caminhar para a terceira guerra mundial e destruir a democracia”.
Foi desta forma que Mário Soares
respondeu à última pergunta que coloca no seu livro ‘Um político assume-se’,
que foi apresentado, ontem, no Theatro Circo pela pró-reitora da Universidade
do Minho, Felisbela Lopes.

Imagem: correiodominho
O
ex-Presidente da República mostrou-se “preocupado” com a situação europeia, que
“é muito pior” que a situação americana. “Os dirigentes europeus, por pouco
corajosos que sejam, têm que perceber que vão ter que mudar de paradigma e
abandonar o neoliberalismo”, alertou Mário Soares, apelando ao civismo. 

Perante
a situação actual em que “os políticos só são capazes de aplicar austeridade”,
o certo é que não se podem esquecer das pessoas. “Tem que se cuidar das pessoas
e não só das coisas”, alertou o ex-Presidente da República, referindo que a
Igreja também não pode ficar indiferente.
A
professora Felisbela Lopes apresentou, entretanto, a obra de uma das
personalidades europeias “mais marcante dos séculos XX e XXI”. O livro é,
confidenciou Felisbela Lopes, “o legado do incalculável valor dos factos
narrados e da escrita ritmada de alguém que sempre se orientou por valores
humanistas e princípios éticos e políticos que diz nunca ter abandonado” e
“este modo de vida sente-se em cada página do livro”
.
Em
15 capítulos, Mário Soares fala da importância da política até chegar a
Presidente da República. “É bom abrir um livro e encontrar alguém contra a
corrente e a dizer ‘basta’. ‘Basta’ de olhar o político como campo menor, basta
de políticos desqualificados e itinerantes entre a a política e as empresas,
prática que condena”, contou.
Entre
as causas e valores que defende e entre os políticos que também fizeram
história, Soares admitiu o esforço por ser sempre um “bom embaixador de
Portugal no mundo”.
“O
título do livro diz tudo do autor”, começou por referir o presidente da Câmara
Municipal de Braga, Mesquita Machado, elogiando “o patriotismo e o amor ao
país” de Mário Soares, até porque já tem “muitas saudades do nosso 
Presidente
da República, que foi um grande exemplo, um exemplo extremamente
significativo”.
Mesquita
Machado lamentou que hoje “alguns até têm vergonha de dizer que são políticos,
quando o exercício da política é extremamente nobre”.

Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta