Porta-voz de George Soros pede ao Google para Controlar “Teorias Conspirativas”

Acadêmico de Stanford quer que os buscadores assinalem o ceticismo ao aquecimento global e às vacinas como opiniões criminosas.
Um ex-companheiro de George Soros na Open Society e atual acadêmico da Universidade de Stanford, Evgeny Morozov pediu ao Google e outros motores de búsca converterem-se em guardiões do pensamento, oferecendo advertências sobre sites que contenham “teorias conspirativas” como a crênça sustentada pela maioria dos estadunidenses, de que o aquecimento global não é provocado principalmente pelo homem.

Morozov, cuja biografia o confirma como um conectado insider, denuncia num artigo de Slate como a internet é uma ferramenta útil para “Pessoas que negam o aquecimento global” assim como “o movimento anti-vacinação”, pedindo ao Google prover um “tratamento socialmente responsável de cura” que marginalizaria estas crênças modificando os resultados da búsca.

Sua solução é “Empurrar aos motores de busca tomar mais responsabilidade por seus índices e exercitar um forte controle na apresentação de resultados de busca para consultas como ‘aquecimento global’ ou ‘vacinação’. Google já têm uma lista de buscas que enviam mais tráfego a sites que comercializam com pseudociências e teorias conspirativas; Por quê não tratá-las diferentes às consultas normais? Portanto, sempre que os usuários receberem resultados de busca que possam enviá-los a sites operados por pseudocientistas ou teóricos conspirativos, Google simplesmente pode mostrar um grande quadro vermelho pedindo aos usuários se precaver e revisar uma lista de recursos previamente autorizados antes de tomar uma decisão”.

Morozov descreve o potencial desta medida que será julgada como una “ajuda para as grandes farmacêuticas ou Al Gore” por parte do Google, como “um risco que se deve tomar”.

Isto representa um argumento similar à “infiltração cognitiva” de Cass Sunstein, num esforço pelo czar da informação de Obama para dar umas palmadinhas às advertências do governo sobre sites controversos (incluindo aqueles que afirmam que a exposição solar é saudável). 

Num altamente ridiculizado artigo Sunstein chamou a forçar os blogs políticos a incluir janelas emergentes que mostrarão “um rápido argumento para uma visão competente”. Também exigiu que impostos fossem aplicados a opiniões dissidentes e inclusive sugeriu que a proibição absoluta de certos pensamentos deveriam aplicar-se.

Dando a companhias como Google, que cresceram até se converterem praticamente nos guardiões da totalidade da internet e já estão participando em atos de censura similares à SOPA, o poder para indicar que posições políticas e científicas são aceitáveis e quais são marginais “teorias conspirativas” é um insulto para o livre pensamento e cheira mais a controle de pensamento no estilo chinês.

O argumento de Morozov também está completamente respaldado pelo fato de que as chamadas marginais “teorias conspirativas” que remete como necessidade para um controle criminal por parte do Google, como o ceticismo acerca do aquecimento global e os perigos das vacinas são compartilhadas por milhões de americanos, e não são “marginais” em absoluto.
De acordo às mais recentes pesquisas menos da metade dos estadunidenses acreditam que o aquecimento global é causado pela atividade humana, um número que têm baixado nos últimos anos.

Adicionalmente, pesquisas mostram que um quarto dos estadunidenses, uns 75 milhões deles, acreditam que as vacinas não são seguras e podem causar autismo. Caracterizar isto como uma teoria conspirativa minoritária é como etiquetar o Catolicismo como una doutrina de uma pequena margem.

No fim, pontos de vista acerca do aquecimento global e a segurança das vacinas podem ser descritos como uma divisão, mas assinalam que o ceticismo acerca da mudança climática provocada pelo homem e os perigos das vacuias são “excêntricas” crênças de conspiração marginais, como Morozov diz em seu artigo, é descaradamente inexato e expõe uma retórica manipulada por sua agenda. Isto se ilustra pelos comentários dos leitores, que quase todos debocham de Morozov e atacanm seu argumento como uma demanda velada pela censura da internet.

O dia que Google começar a fazer coisas como estas será o dia em que buscarei um novo buscador”, escreve um.

Então, você apoia a censura da internet? Só da informação com a que está em desacordo, é claro. Então assumo que Slate e NAF não apoiam a recente ação em relação à SOPA?”, acrescenta outro.
A retórica de Morozov é meramente um aspecto do grande movimento para converter a internet numa câmara de repetição da propaganda do establishment, removendo vozes alternativas para o benefício de grandes companhias farmacêuticas que fazem milhões com a venda de arriscadas vacinas e cientistas que sua sobrevivência depende do apoio do mito do aquecimento global.
Isto representa outro esforço para ganhar uma guerra da informação que o establishment está atualmente perdendo, como Hillary Clinton mesma admitiu, por não criar um novo Ministério da Verdade da Internet Orwelliano, como Bill Clinton pediu, melhor atribuir este papel ao maior guardião da internet.
Please follow and like us:

Você pode gostar também

2 thoughts on “Porta-voz de George Soros pede ao Google para Controlar “Teorias Conspirativas””

Deixe uma resposta