O porta-aviões USS Enterprise poderia ser usado num ataque de falsa bandeira?

Com  o embargo petrolífero para forçar o Irã a um confronto no estreito de Ormuz, os EUA e Israel estão buscando outra forma de iniciar a guerra que durante muito tempo têm procurado com o Irã.
Eles precisam fazer com que pareça que Irã iniciou os movimentos hostis para que fique mais difícil a Rússia e China apoiá-lo.


 Veja abaixo uma simulação de como seria um provável  ataque de falsa bandeira  ao porta-aviões  USS Enterprise.

Lembre-se que Israel possui um histórico de atacar barcos estadunidenses e colocar a culpa em outros enganando a opinião pública nos EUA para que apoiem o ataque aos inimigos de Israel.
 
O ataque israelense ao navio USA USS  Liberty em 1967 onde culparam o Egito é o mais conhecido exemplo.
 

Agora mesmo temos um porta-aviões dos EUA, o USS Enterprise, o mais antigo barco da frota, que será aposentado no ano que vêm devido à sua idade. Seu nome é conhecido devido à série de TV Star Trek.

Aposentar um porta-aviões carregado de armamento nuclear é um processo muito caro e o USS Enterprise possui 8 reatores nucleares, cada um deles precisa ser destruído como lixo nuclear, junto com a máquina associada.
 

A Marinha estadunidense economizaria uma grande soma de dinheiro se o afundasse no Golfo Pérsico, onde por tabela, o problema da radioatividade seria de outros. Então, por quê enviar um barco antiquado que está no fim de sua vida útil a um lugar tão perigoso?

Pela mesma razão que Franklin Roosevelt deslocou uma quantidade de barcos obsoletos desde San Diego à Perl Harbour, enquanto os navios mais novos e modernos estavam muito longe do Havaí no dia 7 de Dezembro de 1941.
 

Israel possui 3 submarinos “golfinhos” que foram dados pela Alemanha e que foram vistos transitando pelo Canal de Suez e podem estar operando no Golfo de Omán e inclusive no Golfo Pérsico neste exato momento, esperando uma embarcação antiga, que será muito útil como “cordeiro” disposto a ser sacrificado.

Será mais uma embarcação atacada da mesma forma que o USA USS  Liberty em 1967 para em seguida, culpar ao objetivo assignado, o Irã,  através dos complacentes meios de comunicação.
 
 
 
Acredito que esta teoria deve ser levada em consideração, até porque dias atrás, este blog publicou a notícia de que argelinos impediram um ataque a um navio de guerra dos EUA no Mediterrâneo pela Al Qaeda. E como sabemos, a Al Qaeda é filial da CIA. Portanto, estão tentando armar um false-flag (ataque de falsa bandeira), para em seguida lançar na mídia corporativa que o Irã iniciou o ataque, no caso, um ataque ao USS Enterprise.
Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta