EUA querem eliminar os opositores da NWO a qualquer custo, Coreia no Norte é a bola da vez?

O secretário
de Defesa dos Estados Unidos, Leon Panetta, qualificou na quarta-feira,
26, a Coreia do Norte como uma “ameaça séria”, em meio a um
clima de desconfiança entre os militares norte-americanos com relação à atual
reaproximação diplomática com Pyongyang.

Representantes
dos dois países se reuniram nesta semana em Genebra para discutir os termos
para a retomada de um processo multilateral para o desarmamento nuclear
norte-coreano. Neste mês os EUA e a Coreia do Norte também chegaram a um acordo
para reiniciar a recuperação dos corpos de soldados norte-americanos mortos na
Guerra da Coreia (1950-53), atividade que estava paralisada desde 2005. 

Em sua
primeira visita a Ásia desde que assumiu o cargo, Panetta elogiou esses fatos,
mas usou termos duros para descrever a Coreia do Norte. Disse que o regime
comunista norte-coreano é “imprudente” e escreveu, em artigo
publicado num jornal coreano na quarta, que o Norte continua sendo uma “séria
ameaça”.
“Venho
aqui porque sob muitos aspectos esta é a linha de frente”, disse Panetta,
dirigindo-se a centenas de soldados norte-americanos e sul-coreanos em Seul.
Uma fonte de
alto escalão que acompanha Panetta na viagem disse ser importante que os preparativos
militares estejam “alinhados com onde as coisas estão no processo
diplomático” por causa da natureza cíclica dessas relações.
“Nossa
experiência, infelizmente, tem sido de que nossos amigos norte-coreanos passam
por ciclos de envolvimento diplomático e provocação, e precisamos estar
preparados para como esse ciclo vai se desenrolar depois da próxima
curva”, disse o funcionário.
A Coreia do
Sul é a última escala de Panetta na viagem de uma semana, que incluiu também o
Japão e a Indonésia. Ele usou todas as oportunidades possíveis para assegurar
aos aliados regionais que os EUA manterão uma presença sólida no Pacífico,
apesar dos iminentes cortes no orçamento de defesa.
Isso é
particularmente importante na Coreia do Sul e no Japão, onde os EUA têm cerca
de 80 mil soldados e onde os aliados de Washington observam com nervosismo o
fortalecimento militar da China.
Segundo
Panetta, a retirada das forças dos EUA do Iraque, ainda neste ano, e a gradual
retirada das forças do Afeganistão permitirão que os EUA dediquem mais atenção
à Ásia oriental.
“Todos
os sucessos que temos tido nos dão a oportunidade de assegurar os investimentos
necessários no Pacífico,” disse ele no começo do dia no Japão. 

Comentário Semeando
Os EUA alegam que a Coreia do Note é uma ameaça séria, eu não duvido, no
entanto, a única coisa que vimos recentemente foi aquele incidente com a Coreia
do Sul no ano passado, acredito que o  Tio San esta cassando pelo em ovo, ou seja,
procurando um pretexto com alegações falsas e  muitas das vezes sem tenacidade, para acusar a Coreia do
Norte sem fundamentação,e achar um motivo para um conflito armado, e posteriormente,
aplicar  até sanções comerciais, como ocorreu
no episodio da fraude do assassinado do embaixador saudita em solo americano,
já comprovado por todos, ou quase todos, que se tratou de uma farsa, um falso
motivo para futuramente atacar o Irã e impor serias restrições comerciais. 
EUA
e os globalistas fascistas da Nova Ordem Mundial ao poucos limpam a escória do
mundo, os seus opositores.
Please follow and like us:

Você pode gostar também

Deixe uma resposta