Indústria farmacêutica está contaminando alimentos nos EUA com a batéria Listeria

Melões
infectados com a bactéria Listeria provocaram a intoxicação alimentar mais
fatal dos Estados Unidos em mais de uma década e provavelmente mais vítimas
serão registradas nas próximas semanas, disseram autoridades sanitárias nesta
quarta-feira.

Até
o momento, 13 pessoas morreram e 72 ficaram doentes após comer melões
contaminados com Listeria da empresa Jensen Farms, no primeiro surto desse
agente patogênico em melões, indicou o Centro para o Controle e Prevenção de
Doenças (CDC).
Quatro
cepas diferentes de Listeria monocytogenes – uma bactéria que causa a
listeriosis e está entre as patologias mais fortes transmitidos por alimentos –
foram vinculadas a esta empresa com sede no Colorado (oeste), que fez um recall
de melões contaminados em meados de setembro.
Os
melões foram distribuídos em ao menos 17 estados americanos, mas não houve
exportação do produto, como informaram inicialmente as autoridades sanitárias.
“Cometemos um erro quando dissemos que havia embarques para outros
países”, disse o porta-voz da Administrção de Alimentos e Medicamentos
(FDA), Douglas Karas.

Uma
pessoa pode ficar doente de Listeria até dois meses depois de ter consumido um
produto contaminado, e a bactéria pode persistir por semanas, inclusive em
baixas temperaturas.
O
diretor do CDC, Thomas Frieden, advertiu que provavelmente o número de vítimas
subirá. “A Listeria é uma bactéria incomum”, disse a jornalistas.
“Antecipamos que haverá um aumento do número de casos nos próximos dias e
semanas”, afirmou.
As
pessoas em maior situação de risco são os idosos, as pessoas com sistemas
imunológicos frágeis e as grávidas, a quem não se aconselha o consumo de frios
e salsichas, as fontes potenciais de Listeria mais comuns, dado que esta
bactéria pode causar abordo involuntário.
Duas
das 72 pessoas que contraíram a doença estão grávidas, mas tanto elas como seus
fetos “estão bem”, disse Frieden. A infecção por listeria causa febre
e dor muscular.
“É
a primeira vez que vimos contaminação por Listeria em melões, e estamos
trabalhando para tentar averiguar como isso ocorreu”, disse Margaret
Hamburg, comissária da FDA.
Segundo
o CDC, as mortes ocorreram em vários estados do país: Colorado (2), Colorado
(2), Kansas (1), Maryland (1), Missouri (1), Nebraska (1), Novo México (4),
Oklahoma (1) e Texas (2).
Please follow and like us:

Você pode gostar também

4 thoughts on “Indústria farmacêutica está contaminando alimentos nos EUA com a batéria Listeria”

  1. Como se já não soubéssemos quem quer envenenar (e porque) os alimentos, e mais 3 pessoas morreram hoje e dizem que vai piorar até outubro ! Como as pessoas já estão com medo das vacinas, esse método é mais eficiente porque ninguém sabe quando e onde vão ser infectadas. O peixe morre pela boca – esse velho ditado é certo. Isso é muito perigoso, porque tudo que ingerimos pode ser contaminado sem sabermos…dá até medo de comer hoje em dia…só Deus por nós amigo !!!
    Sil

  2. Aliás, orar muito !!!

    A PEPSICO (Multinacional dos EUA que opera no Brasil também) teve que retirar das prateleiras um lote do famoso TODDYNHO no RS. Veja a notícia:
    Em 28/09/2011 a empresa teve que retirar das prateleiras dos supermercados da Grande Porto Alegre todas as embalagens do achocolatado Toddynho. Isto ocorreu pelo fato de se ter constatado problema na qualidade de 80 unidades do produto, inclusive causando lesões em 12 consumidores. A Vigilância Sanitária Estadual do Rio Grande do Sul identificou em análise de laboratório que o pH dos produtos estavam em torno de 13, de uma escala entre 1 e 14, ou seja, indicando grande alcalinidade.

    Resumo: tudo que envolve empresas dos EUA em termos de alimentos, para mim é perigoso…não confio em nada que venha do "reduto da elite malígna" agora !!!
    Sil

  3. @Anônimo

    Sil

    eu lie a reportagem, meu sobrinho toma direto este achocolatado, É Pepsico faz parte da indústria do Tio San, bem eu vejo como uma casualidade, mas se tratando de aliementos merece sim toda atenção e cuidado, nunca se sabe.

Deixe uma resposta